DISCIPLINA NPGAU – URBANISMO GUERRA I – 1sem2015

AULA 01: O URBANO(ISMO) E A GUERRA – FUNDAMENTOS

Discussão dos principais conceitos a serem utilizados na disciplina e sua operacionalização genealógica.

MEMÓRIA, HISTÓRIA, NARRATIVA

BENJAMIN, Walter. Magia e Técnica. Arte e Política. São Paulo: Brasiliense 1997.

BRANCO, Lúcia Castello (org.). A Tarefa do Tradutor, de Walter Benjamin. Quatro Traduções para o português. Belo Horizonte: FALE, 2008.

BURKE, Peter. A História dos Acontecimentos e o Renascimento da Narrativa IN: BURKE, Peter (org.). A Escrita da História. Novas Perspectivas. São Paulo: UNESP, 1992.

URBANO(ISMO)

LEFEBVRE, Henri. A Revolução Urbana. Belo Horizonte: EdUFMG, 1999.

BRENNER, Neil (ed.). Implosion/Explosion. Berlim: Jovis, 2014.

LEFEBVRE, Henri. The Production of Space. Blackwell, 1995

WIRTH, Louis. Urbanismo como Modo de Vida IN: VELHO, Otávio (org.). O Fenômeno Urbano. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1976.

A GUERRA

CASTRO, Edgardo. Introdução a Michel Foucault. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

CLAUSEWITZ, Carl Von. Da Guerra. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

DEBORD, Guy. A Sociedade do Espetaculo. Comentários sobre a sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

FOUCAULT, Michel. Ditos e Escritos IV. Estratégia, Poder-Saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012. p.175-188, 223-252, 281-305.

FOUCAULT, Michel. Ditos e Escritos VIII. Segurança, Penalidade e Prisão. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012. p. 29-36, 53-58.

FOUCAULT, Michel. Em Defesa da Sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2014. p.234-277.

FOUCAULT, Michel. Segurança, Território e Governamentalidade. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

GRAHAM, Stephen. Cities under Siege. The New Militarian Urbanism. London: Verso, 2010.

HAESBERT, Rogério. Viver no Limite. Território e multi/transdisciplinaridade em tempos de in-segurança e contenção. Rio de Janeiro: Bertrand do Brasil, 2014. p. 155-180.

LAMBERT, Leopold (ed.) The Funambulist Papers. Volume 02. Foucault. Brooklyn: Punctum books, 2013.

Ó, Jorge Ramos do. A Arte de governo em Michel Foucault. IN: UNIPOP (org.).Pensamento Crítico Contemporâneo. Lisboa: Edições 70, 2014.

RICARDO, Pablo Alexandre Gobira de Souza. Guy Debord, Jogo e Estratégia: Uma Teoria Crítica da Vida. Tese de Douturado. Faculdade de Letras, UFMG, Belo Horizonte, 2012.

SEBALD, W. G. Guerra Aérea e Literatura. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

SOUZA, Marcelo Lopes de. Fobópole. O Medo generalizado e a militarização da questão urbana. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008. p. 140-166.

TAVARES, Gonçalo M. A Máquina de Joseph Walser. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

AGENCIAMENTOS, DISPOSITIVOS E INOPEROSITÁ

AGAMBEN, Giorgio. Nudez. Lisboa: Relógio Dagua, 2006. p.107-130.

AGAMBEN, Giorgio. O que é um Dispositivo. IN: _____________. O que é o Contemporâneo? E outros ensaios. Chapecó: Argos, 2009.

AGAMBEN, Giorgio. O Reino e a Glória. Uma Genealogia Teológica da Economia e do Governo. São Paulo: Boitempo, 2011. p.273-275.

ANDERSON, Benedict. Comunidades Imaginadas. Reflexões sobre a origem e difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

CAVELLETI, Andrea. Inoperositá e a aitividade humana. Disponível em: http://revistacult.uol.com.br/home/2013/09/inoperosidade-e-atividade-humana/, acessado em 02 de abril de 2015.

DELEUZE, Gilles. O que é um Dispositivo? IN: _________. O mistério de Ariana. Ed. Vega – Passagens . Lisboa, 1996. p.83-96.

Fundamentals Catalogue. 14th International Architecture Exhibition. Venice, 2014.

GUMBRETCH, Hans Ulrich. Atmosfera, Ambiência, Stimmung. Sobre um potencial oculto da Literatura. Rio de Janeiro: Contraponto, 2014.

No!. Direção: Pablo Arraín.

NASCIMENTO, Daniel Arruda. Do conceito de Inoperosidade no recente vulgo de Giorgio Agamben. IN: Cadernos de Ética E Filosofia Política. São Paulo, 2010. 17:79-101

NEGRI, Antonio. Giorgio Agamben: Só a inoperositá é soberana. Disponível em: http://uninomade.net/tenda/giorgio-agamben-inoperosidade-e-soberana/, acessado em 02 de abril de 2015.

PELLEJERO, Eduardo. A Postulação da Realidade. Filosofia, Literatura e Política. Lisboa: Vendaval, 2009. p. 121-134.

The Law in these parts. Direção: Ra’aan Alexandrowicz.

Um Lugar ao Sol. Direção: Gabriel Mascaró.

WEINAMNN, Amadeu de Oliveira. Dispositivo: Um solo para a Subjetivação.

AULA 02: MUSEU

Discussão do museu como operacionalizador racional, excludente e linear da história

BASBAUM, Ricardo. Deslocamentos Ritmicos: O Artista como Agenciador, como Curador, como Crítico IN: 27a Bienal de São Paulo: Seminarios. Rio de Janeiro: Cobogó, 2008.

BENJAMIN, Walter. O Colecionador IN: ____________. Passagens. Belo Horizonte, São Paulo: EdUFMG, Imprensa Oficial. 2008.

CRIMP, Douglas. Sobre as ruínas do Museu. São Paulo: Martins Fontes, 2005. p.177-206.

LEVI, Giovani. Sobre a Micro-história IN: BURKE, Peter (org.). A Escrita da História. Novas Perspectivas. São Paulo: UNESP, 1992.

[texto geral] SANTOS, Boaventura de Souza, MENESES, Maria Paula, NUNES, João Arriscado. Para ampliar o cânone da ciência: A diversidade epistemológica do mundo IN: SANTOS, Boaventura de Souza (org.). Semear outras soluções: os caminhos da biodiversidade e dos conhecimentos rivais. Rio de Janeiro: Civilizacão Brasileira, 2005. p.21-121.

AULA 03: ATLAS

Discussão do Atlas/Mapas como operacionalizador estratégico geográfico

ALYS, Francis. When Faith Moves Mountains. Disponível em: www.youtube.com. Acessado em 26 de marco de 2015.

CARDIFF, Janet, MILLER, George. Alterbanhoff. Disponível em: www.youtube.com. Acessado em 26 de marco de 2015.

O Inglês que subiu a colina e desceu a montanha. Direção: Christopher Mong. 1995.

REDIN, Mayana. Série: Geografia de Encontros. Disponível em:www.mayanaredin.blogspot.com. Acessado em 26 de marco de 2015.

BRANDAO, Luís Alberto Brandão. Mapa Volátil: O Imaginário Espacial de Paula Auster IN: ______________ Grafias de Identidade. Literatura Contemporânea e Imaginário Nacional. Rio de Janeiro, Belo Horizonte: Lamparina, FALE, 2005. p.35-66.

CASTRO, Marcílio França. Breve Cartografia de Lugares sem Nenhum Interesse. Rio de Janeiro: 7Letras, 2011.

CANUTO, Frederico. Jogos Paisagísticos: Mapas e Atlas como conceitos operativos. IN:RA’EGA. O espaço geográfico em análise. V.30, 2014.

ECO, Umberto. Diário Mínimo. Rio de Janeiro: Record, 2012. p.335-342.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2014. p.244-261.

GANZ, Louise. Imaginários da Terra: Ensaios sobre Natureza e Arte na Contemporaneidade. Tese de Doutorado. Escolar de Belas Artes – UFRJ. 2014.

[texto geral] HISSA, Cássio Eduardo Viana. A Mobilidade das Fronteiras. Inserções da Geografia na crise da Modernidade. Belo Horizonte: EdUFMG, 2002. P. 187-198.

AULA 04: CENSO

Discussão do Censo/Estatística como operacionalizador massificador individual humano

ANDRIOPOULOS, Stefan. Possuídos. Crimes HIpnóticos, Ficção Corporativa e a Invenção do Cinema. Rio de Janeiro: Contraponto, 2014. P. 153-183.

CLASTRES, Pierre. Sociedade contra o Estado. São Paulo: Cosac Naify, 2012. p.201-231.

DELEUZE, Gilles, PARNET, Claire. Diálogos. Lisboa: Relógio Dágua, 2004. p.51-95.

DELEUZE, Gilles, GUATTARI, Felix. Mil Planaltos. p. 199-219.

FOUCAULT, Michel. Ditos e Escritos IV. Estratégia, Poder-Saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012. p. 203-222.

Ó, Jorge Ramos do. A Arte de governo em Michel Foucault. IN: UNIPOP (org.).Pensamento Crítico Contemporâneo. Lisboa: Edições 70, 2014.

PESSOA, Fernando. O Banqueiro Anarquista. Lisboa: Antígona, 1997.

[texto geral] VIRNO, Paolo. Gramática da Multidão. São Paulo: Annablume, 2013. p.43-73.

THOREAU, H. D. Desobediência Civil.

DOCUMENTÁRIO

Valor: 20 pontos

Produção de um documentário da aula.

Somente podem ser usados recursos escritos.

O documentário deve ser apresentado na aula seguinte (dias 14, 21 e 28 de abril e 05 de maio).

Deve ser entregue uma cópia para cada aluno da sala.

Tamanho máximo: três folhas, frente e verso.

Uma cópia digital deve ser enviada para fredericocanuto@ufmg.br.

 APRESENTAÇÃO

Valor: 20 pontos

Na aula de 07 de abril serão divididos os textos para cada aluno.

Cada aluno se responsabiliza por apresentar o texto, de forma breve, nas aulas seguintes (dias 14, 21 e 28 de abril)

Deverá ser entregue um roteiro ou relatório ou qualquer outra forma escrita para a apresentação para cada aluno da sala.

Tamanho máximo: não especificado, mas tendo como condicionante uma duração que não ultrapasse 30 minutos.

Uma cópia digital deve ser enviada para fredericocanuto@ufmg.br.

NARRATIVA

Valor: 60 pontos

Entrega: 29/06

O trabalho final da disciplina versará a partir do tema: Urbanismo, Guerra e conceitos associados discutidos na disciplina sendo que o recorte para o trabalho será a aplicação em um dispositivo urbanístico do método genealógico de Foucault, a partir das questões históricas (museu), cartográficas (atlas) e numéricas (censo) discutidas.

Podem ser usadas imagens fotográficas, vídeos e outros recursos multimidiáticos como recursos para a narrativa proposta. Mas estes tem de vir acompanhados de texto, objetivo principal da disciplina.

Para o texto, no mínimo que se espera:

-entrevistas com profissionais da área;

-imagens dos modos como o dispositivo se apresenta no cotidiano;

-usos do dispositivo.

*Dispositivos: torre celular, pavimentação, terra, passeio, árvores, luz, praça, rotatória, faixas, sinais, céu, fios, catracas, cores, monumentos, água, coletes, wifi, poluição, som, fumaça, insolação, outdoors, poeira, estrada, etc.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s